Cozido da Namaria


Eu adoro, curto muito, muito mesmo, ideias diferentes. Se tem uma coisa que me conquista nessa vida, é o trucão. Então por isso mesmo fico farejando essas dicas que transformam uma coisa complicada em algo simples, ou que dão um uso inusitado para um ingrediente…

Dia desses, um dia raro, aliás, a TV estava ligada no programa da Ana Maria Braga, que eu quase não assisto. Nem por nada não, é que Fernanda fica assistindo os desenhos dela nesse horário e eu geralmente estou ocupada, mas sempre que eu posso, paro pra ver na hora da receita. Podem falar o que quiser da aprensentadora, mas que tem receita legal naquele programa, ninguém pode negar. A prova disso é esse cozido, que me fez parar tudo o que eu estava fazendo e sentar na frente da TV, abismada com a cena que eu estava vendo.

Simplesmente eram carnes e legumes indo pra panela de pressão sem um pingo de água, como assim?

Não deu outra, no dia seguinte peguei o que tinha em casa e fui testar. E aí saiu o cozido mais gostoso que eu já comi na vida, mas como tive que adaptar as quantidades, o meu foi assim:

  1. Abri um pedaço bem grande de papel alumínio (com o lado brilhante para cima), coloquei duas fatias de bacon cortadas ao meio, o que rendeu quatro, formando um quadrado. 
  2. Por cima coloquei um pedaço de aproximadamente 700g de acém e 4 sobrecoxas de frango, temperados só na hora com sal e pimenta. Por cima do acém coloquei um pedaço de linguiça calabresa e uma fatia de bacon. Sobre o frango não precisa colocar nada. 
  3. Salpiquei tomilho e alecrim, juntei uma folha de louro, reguei tudo com azeite e fechei o papel bem fechadinho, que virou um pacote que foi pra o fundo da panela de pressão. 
  4. Em seguida abri outra folha de papel alumínio, coloquei batatas e cenouras descascadas e cortadas em pedaços grandes, temperadas com sal e pimenta. 
  5. Juntei um pedaço de linguiça calabresa e 1/4 de repolho, reguei azeite e fiz outro pacotão, que foi também para a panela, posicionado em cima do pacote de carnes. 
  6. Feito isso, é hora de fechar a panela, acender o fogo alto, e quando começar um barulinho de pressão (vai ser bem baixinho), é só abaixar o fogo e contar no relógio 50 minutos.
  7. Passado o tempo, apague o fogo e deixe a pressão sair normalmente (não apresse botando em baixo da torneira), abra a panela e saboreie o cozido mais louco e delicioso do universo!

Gente, é uma coisa i-n-d-e-s-c-r-i-t-í-v-e-l. Cada ingrediente fica no seu devido ponto, nem um mais do que o outro, e os sabores se misturam ao mesmo tempo que cada um mantém suas caracteríscas próprias. Enfim, eu não vou conseguir explicar, só mesmo testando pra vocês entenderem o que eu tô dizendo. Só digo uma coisa: PROVEM!

O link da receita completa tá aqui, e ó, Namaria: “te considero”, viu.