Bife acebolado


Um bom bife parece uma coisa fácil e simples, mas para mim, ele sempre foi um grande mistério. Que tipo de carne comprar, como temperar, deixar ou não marinando, como fazer pra ele não virar uma borracha, essas coisas todas banais se mostram um desafio e tanto quando a gente não domina muito bem as panelas, né.

Depois que casei o tempo foi passando e fui superando alguns “medinhos”, mas o do bife sempre continuou lá. Foi quando aprendi que pra fazer um bife gostoso é preciso apenas alguma técnica e os ingredientes certos. Lógico que foi na base do erro/acerto, pesquisa um pouquinho daqui, lê um blog dali, mas posso dizer que, aos poucos, meu bife tá ficando até apresentável =) #orgulhinho

Então seguinte, se você vai fazer bife, compreenda uma coisa importante: ou você compra filé mignon, ou você transforma uma outra carne em filé mignon.

Se você comprou filé mignon, pula essa parte. Se você vai de patinho, coxão mole, alcatra, senta que lá vem história. História boa né. Porque esse negócio de transformar outra carne em filé sem ter que martelar o coitado, nem usar amaciante mudou minha vida e, caso você ainda não saiba do grande segredo de Tereza Cristina, vai mudar a sua também. E o nome do segredo (que aprendi com minha tia) é A-B-A-C-A-X-I. Cortou os bifinhos? Tempera com sal, pimenta do reino e pingue 5 gotinhas de abacaxi, misture tudo e deixe 5 minutinhos, contados de relógio. Nada mais, nada menos.

Enquanto espera (de olho no relógio hein), vai logo aquecendo uma frigideira no fogo bem alto, coloca um fiozinho de azeite/manteiga/óleo e já vai selando os bifes. Selar: colocá-los em contato com temperatura bem alta, apenas para dourar por fora, dos dois lados. Como o fogo está alto, isso vai ser rápido. Mas por dentro eles ainda estarão crus. Então quem curte carne mal passada, parou aí. Quem gosta dela ao ponto ou bem passada, como eu, faz o seguinte: depois de selar todos os bifes, reserve-os em um recipiente separado e tampado pra manter o calor, joga uma cebola cortada em rodelas na frigideira onde você selou os bifinhos e deixa em fogo baixinho, que a água da cebola vai soltar aquele fundinho de carne.

Tampa a panela um bocadinho que a cebola vai cozinhando (se for preciso, coloca um pouco de manteiga pra não queimar), e quando a cebola estiver toda moreninha delícia, é só juntar os bifes, tampar a panela e deixá-los cozinhando naquele calorzinho bem temperado. Dá uma provadinha, vê o sal, vê o ponto da carne e pronto.

E olha, desculpa o clichê, a breguice, a cafonice, mas pra mim um bifinho desse, acompanhado de arroz e feijão (quem sabe também um bife do olhão) são melhores que muita comida cara e de nome chique por aí, viu 😉